SEGUIDORES DE CAMINHADA

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

ENTÃO É JAZZ - conto de filme




No filme A lenda do Pianista do Mar, um trompetista entra na fila para conseguir um emprego como músico e quando percebe, na entrevista, que não seria contratado porque já havia músico suficiente no navio, saca de sua maleta, retira um trompete e sai tocando para dentro de um pátio cheio de gente que logo se aglomera e fica encantada com a música. Até mesmo o chefe do navio se encanta e então pergunta: que música é essa? Ao qual responde o trompetista, acabrunhado: não sei... Mas logo, o chefe, sorridente, exibindo seu dente de ouro responde: se não sabe, então é JAZZ!  E o trompetista foi contratado para as exibições no navio em viagem. O filme é muito lindo, sobre um pianista que só vive no navio, mas quem conta a estória é o trompetista, que fica seu amigo.  


Juiz de Fora, 05 de janeiro de 2011.
Evaldo de Paula Moreira
Conto de Filme.

4 comentários:

JOSÉ ROBERTO BALESTRA disse...

Evaldo, que maravilha de cultura! Exatamente, a resposta do músico trumpetista sintetizou tudo naquele seu "...Não sei.", porque jazz é de fato uma improvisação total. Toca-se (como eu sempre disse) na base do "piloto automático"; há um começo, uma nota, mas o decorrer e o final da execução nem o próprio músico sabe. O final pertence a Deus, e a ninguém mais...

Uma jam session de blues é mais ou menos do mesmo jeito. Quando tinha minhas bandas eu adorava - depois da seriedade dos ensaios - ficar com os amigos e parceiros inventando acordes, riffs e outros tipos de solos. Uma particularidade: nunca fui muito chegado em distorção (aquele som rachado, duro de ouvir) em guitarra. Até hoje gosto de solo com som limpo (por isso sou fã demais de Carlos Santana, B. B. King e Buddy Guy), e quando era para criar um efeito no solo da guitarra, eu fazia lição aprendida com o mestre Jimi Hendrix: ficava de frente para o amplificador e o resultado era um som maravilhoso, aveludado, por conta das válvulas. Os transístores tiraram-nos essa magia...(agora se ficar de frente dá é microfonia, aquele zumbido de arrombar os tímpanos até de surdos).

Ufa, falei muito não? Desculpe. Mas é que a música me pulsa nas veias...

abs

Dom Quixote (Thomaz) disse...

Vou ver se acho este filme. Excelente dica, memso por que gosto muito de jazz!

Meias de Seda (Suzy) disse...

Oi, Evaldo.
Adorei esse desenho!
Será que você teria interesse em fazer alguns desenhos com o tema carnaval (tipo arlequins, colombinas, etc) para irmos postando lá no blog durante a tríade momesca?
Um abraço ;)

Evaldo disse...

Suzy, grato pelo convite. É uma honra atendê-la. Meus desenhos são simples. Se você gostar, posso tentar fazer alguns pra você avaliar, ok?
Abs.