SEGUIDORES DE CAMINHADA

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Sabe o que acontece?...

                                Foto do Monte Aghá - litoral sul do Espírito Santo.


Sabe...
A gente anda por muitos lugares e muitas das vezes sem saber o que já se passou por lá.
E é comum não sabermos o significado dos seus nomes.
São tantas as coisas que não nos damos conta de perguntar.
Já pensou em saber o nome de cada estrela?
Existem muitas que estão logo ali (a poucos milhões de anos luz daqui).
Se pudéssemos ir lá para saber, mesmo sendo assim tão pertinho, creio que todas terão sua história para contar.
Quantas lutas! Podem dizer algumas.
Outras podem dizer: eu já fui fogo, viu?
É preferível ficar longe de outras, pelo menos por enquanto, porque elas ainda são fogo.
Até maior do que o nosso sol, que não é brincadeira de tão quente.
Não sei se alguma reclama, porque são geladas. Que frio!
Quanto há na vida para se pensar!
A cada metro de distância, no chão que pisamos, pode ter havido uma árvore que não sabemos o nome dela. Se ela chorou ou se ela sorriu. Se alguém se sentou debaixo dela.
Por esses dias, passeando com minha esposa pelo litoral do estado do Espírito Santo, fotografei essa montanha, conhecida por Monte Aghá.
Logo pensei na semelhança que poderia ter com a letra “H” (agá).
Não vi nenhuma semelhança, então fiquei sem entender por alguns dias, porque deixei para pesquisar depois.
O meio mais fácil foi consultar a Wikipédia -http://pt.wikipedia.org/wiki/Monte_Agh%C3%A1.
Dessa forma, os morros, as ilhas têm suas histórias muito importantes para contar, mesmo que sejam de tempos longínquos. A gente passa por muitos lugares e às vezes nem se dá conta do que já se passou por ali. Só mesmo um bom estudioso de História para saber, mesmo assim alguma coisa deve escapar.
Passeando pela história desse Monte chamado Aghá entendi por que tem esse nome e fiquei sabendo um pouco mais sobre os indígenas daquela região, os Puris, que habitaram também outras terras.
Na língua deles o nome (Aghá) significa “lugar de se ver Deus”.

Juiz de Fora, 16 de abril de 2012.
Evaldo de Paula Moreira
Contos de viagem.