SEGUIDORES DE CAMINHADA

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Vida Antiga, no Campo.




Natureza integrada no campo.


No campo, a natureza era integrada, naquela minha infância.
Os animais trabalhavam ajudando o homem nos serviços pesados.
O cão ajudava na empreitada de controle. Não posso esquecer-me dos cavalos que suportavam os arreios e puxavam as charretes.
O homem controlava todos os reinos: mineral, animal e vegetal.
Mas, por razões morais e religiosas guiava-se obedecendo a Deus porque acreditava mais intensamente Nele.
Então, tudo seguia a hierarquia natural, onde todos viviam nos seus limites.
Havia mais árvores, que sustentavam as águas, que sustentavam todos; os grilos que sustentavam os sapos, que sustentavam as cobras, que sustentavam as aves de rapina.
As sementes das plantas que sustentavam as aves e os pássaros, que embelezavam os céus e de forma milagrosa também promoviam o equilíbrio da própria natureza.
As coisas foram mudando, e o mundo é outro, com acertos e desacertos. É mais urbano do que rural. Não quero entrar nos méritos das mudanças. Apenas quero guardar a lembrança da minha infância no campo, que também teve parte feliz na cidade, há muito tempo. Mas essa é outra história, onde a alegria foi mesclada com a saudade.

Juiz de Fora, 30 de janeiro de 2011.
Evaldo de Paula Moreira
Conto de Amor