SEGUIDORES DE CAMINHADA

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Sala de Humor - "A ventríloqua" e "a boneca insolente"




Sala de humor – "A ventríloqua" e "a boneca insolente".

-Baby..., vamos ver se você se comporta, hoje, hein?
- Depende de você, né? É você quem fala, ué! Eu só faço de conta...
- Olha! Já começou de novo... Pode parar. As pessoas estão te ouvindo, isso não é jeito de falar.
Diga-me uma coisa, por que é que você pintou tanto assim o rosto? Não está demais?
- Ué! Foi você quem me preparou. Por que pergunta?
- Minha nossa, você não muda mesmo. Ainda bem que estamos numa platéia de adultos.
Diga-me outra coisa: se você continuar assim, o que é que você vai ser quando crescer?
- Serei a mesma boneca. Ué! E nem vou crescer, ora... Você é quem vai mudar. O Pinóquio foi quem virou gente. Eu não.
- Pára com isso, Baby, querida. Todo mundo está rindo de mim. Você não tem pena?
- De novo? É você quem está falando, não sou eu! Vou me levantar e dizer bem alto pra todo mundo ouvir: eu sou uma boneeecaaa!
- Olha! Seja mais educada. Eu não te agüento mais. Estou humilhada. A platéia está toda em gargalhada, zombando de mim. Vou chorar. Eu vou embora.
Desculpa-me, gente. Essa menina não tem jeito. Não volto mais com ela. Ela não muda. Estou indo...
- Ô Linda! Linda!...
- O que é?
- Todo mundo está te aplaudindo, olha! Acho que você pode me trazer de novo.
- Minha nossa! É mesmo!
Oh, Baby! Desculpa-me, querida. Eu tenho coração mole. Prometo que não vou te abandonar.
Obrigada, gente.
Muito obrigada!

Juiz de fora, 09 de novembro de 2011.
Evaldo de Paula Moreira
Ventriloquia  – A boneca insolente

7 comentários:

Ma Ferreira disse...

Querido Evaldo!

Impossivel não ler este teu conto sorrindo.
Amei!!
Super criativo... as imagens também..hiper-bacanas..

Um beijo...

Clara disse...

Que coisa!
Além de tudo é atrevida e topetuda....
Adorei!

Beijo

Jaime Guimarães disse...

Oi, Evaldo!

Eu só posso agradecer por sua visita e comentário gentil, mas devo agradecer mais ainda por sua crônica leve e que levou-me à infância postada em seu blog.

Bom, agora é essa história com a boneca insolente. Como se diz aqui na Bahia, a boneca é "retada" mesmo! rs

Gozado que eu sempre tive um certo medo de ventríloquos e seus bonecos. Quer dizer, esse medo era maior na infância, claro. Existia um vilão nas revistas do Batman que era um ventríloquo, imagine só! rs

Mas são pessoas muito talentosas com essa arte. E você também mandou muito bem nessa história! Legal!

Abraço!

Cissa Romeu disse...

Evaldo, tudo bem?
Nossa! A boneca está viva!
Ri muito por aqui!
Grande maestria tua, Evaldo, em conduzir este conto, fluente, nos puxando em cada linha rsrs

Parabéns!
Percebi meu amigo Jaime Guimarães aqui, que bom. Os amigos se encontrando, legal!

Grande abraço para ti e família.

Bento Sales disse...

Olá, grande amigo!
Que alegria essa sua peça!
A sua narrativa é tão boa que o dinamismo nos faz sentir a boneca se mexendo.
Sou fã dessa arte.
Aí você também faz com virtuosidade.
Obrigado por compartilhar conosco essa alegria.
O boneco é uma espécie de alter ego da pessoa.

Parabéns pelo talento!

Abraços do amigo de sempre!

Celina Dutra disse...

Evaldo querido,

Imagem linda! Texto divertido e gostoso. Mas a boneca é atrevidinha mesmo... Excelente fim de semana com muita inspiração para nos enriquecer como sempre faz! Girassóis nos seus dias. Beijos

Jacques disse...

Muito bom, Evaldo.
A boneca dando uma lição de humor em seu (teórico) manipulador?
Faz pensar e diverte.
Abraço e um bom feriado, meu caro.