SEGUIDORES DE CAMINHADA

sexta-feira, 18 de março de 2011

Vídeo dos periquitos tagarelas

 
São os mesmos"periquitos tagarelas" da postagem anterior, postados agora em vídeo, para ouvirmos "suas conversas interessantes".

quarta-feira, 16 de março de 2011

Terra do Sol Nascente



Aos irmãos da Terra do Sol Nascente direcionamos  nosso olhar e ficamos com o coração apertado.
Mas nesse quadro de coração arrochado, abrimos os olhos e vemos, através das notícias, a organização, passividade e civilidade com que são enfrentadas as dificuldades nesse momento histórico.
Japão que outrora se levantou das cinzas, torcemos para que novamente se erga como está se erguendo, de maneira exemplar para o mundo, mostrando que podemos ter calma e tolerância e o quanto elas são importantes na superação da crise.
Nós já abraçamos seu povo em nossa pátria, bem como seus descendentes, que agora são também brasileiros.
Todos juntos oramos, rezamos, por vocês.

Juiz de fora, 16 de fevereiro de 2011.
Evaldo de Paula Moreira.
Dor de irmãos.




terça-feira, 15 de março de 2011

Periquitos tagarelas

                                
                                       Esse casal de periquitos era bastante tagarela
                                              (Na visita ao nosso filho)

Minhas novas amigas "cãs"



Num passeio com minha esposa à casa de meu filho, recentemente, ganhei duas novas amigas. Duas amáveis cadelas.
Muito afetivas. Fiquei feliz. Voltei com saudades.
Saudade que sempre me acompanha, porque a vida tem coisas muito belas.
Brinco com meu filho, na internet, perguntando pelas “cãs”, para não chamá-las de cadelas.
É uma brincadeira, porque elas são realmente muito amáveis. Parecem crianças, inocentes. Brincávamos até de jogar bola. E elas adoravam.  Disputávamos, nós três, a posse da “redonda”.
Incrível, mas até de esconder elas gostavam de brincar.
E nem sempre davam trégua.
Às vezes deitavam perto de meus pés quando me sentava. Ou então junto a mim quando me deitava na grama.



Juiz de Fora, 13 de março de 2011.
Evaldo de Paula Moreira
Amáveis cadelas.

domingo, 13 de março de 2011

Irmão Sol, Amigo Cão






































Irmão sol, amigo cão.
Centelhas divinas, no céu e na Terra.
Um nos ilumina, o outro, nos anima.
Pensemos bem, como tudo está em sincronia.
Todos nós somos feitos uns para os outros.
Ninguém é do outro.
Todos se apóiam, uns nos outros.
Irmão sol, amigo cão.
A hora que conseguir,
mesmo não sendo sua,
o homem fará porteiras,
demarcando a lua.

Juiz de Fora, 12 de março de 2011.
Evaldo de Paula Moreira
Versos de amor.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Amor e Ódio - Reflexões





São antigos os campos de batalhas.
Acompanham a vida desde o inicio.
Luta pela sobrevivência, luta pelo poder.
Também existe a luta pelo amor.
Tudo está misturado nos cenários.
Nos que se foram.
Nos que estão aí
Nos que virão.
Dentro e fora das arenas.
O coração escolhe pra onde deseja ir.
Pro lado da guerra ou da paz.
É difícil entender por que existe a divisão.
É preciso termos paciência.
O mundo não é só de flores.
Nem só de amores.
É difícil entender.
O cenário está aí.
Mas, a nossa maior luta é a da mudança interior, para atingirmos melhora íntima.
Resgatar corações das trevas ou levá-los para elas, conscientes ou não, é questão de escolha, contudo, melhorar-se não é tão fácil.
O mundo está aí para indagarmos: por que ainda não é tudo amor?
Às vezes pergunto a mim mesmo, por que não somos melhores. Sei, porém, que tudo é processo de mudança.
–“A natureza não dá saltos”.
Na imensidão de coisas que existem, sei que sou apenas uma fagulha em evolução. E com todas as tristezas que tenho visto e sentido, alternadas com alegrias, penso que o que nos sustenta é a natural esperança, já nascida junto a toda fagulha.


Juiz de Fora, 10 de março de 2011.
Evaldo de Paula Moreira
Reflexões.


quarta-feira, 9 de março de 2011

O Humor de Mazzaroppi - Cenas de Filme







O Humor de Mazzaroppi

Cenas do filme  “Sai da Frente”.
Mazzaroppi  leva uma mudança de São Paulo para Santos em um velho caminhão chamado Anastácio. Ao perdê-lo num trecho do caminho, Isidoro (Mazzaroppi) vai até a delegacia fazer a denúncia, na esperança de reaver seu desajeitado caminhão.
Quando se apresenta, o delegado pede o documento e o atrapalhado Isidoro, após esvaziar os bolsos o encontra e o entrega com a diferente  foto tirada de costas.
Para provar que era ele, Isidoro fica de costas para o delegado confirmar.
Este foi o primeiro filme de Mazzaroppi, lançado em 1952.
Além de cômico, o velho filme nos dá a oportunidade de ver imagens antigas da cidade de São Paulo e Santos. Nele há também seu amigo cão chamado Coroné.


Juiz de Fora, 09 de março de 2011.
Evaldo de Paula Moreira
Lembrando o filme do Mazzaroppi

Desenho Livre - Abstrato


segunda-feira, 7 de março de 2011

Dia Internacional da Mulher - O Sorriso


Dia Internacional da Mulher

O Sorriso.

 A jovem e bela italiana, sempre bem humorada e sorridente, não descuidava de ajeitar suas meias de seda, nas suas longas e bonitas pernas. Desnecessárias meias, diria. Mesmo sendo adolescente, não podia deixar de observar o misterioso jogo de elegância das donzelas, ou não donzelas. Das jovens ou não jovens.
O fato é que a sedução se expressa de muitos modos. O mais encantador é o sorriso, de alma aberta, espontânea.
Há um reconhecimento, tácito, entretanto, de que as mulheres sabem muito bem tecer, não para iludir, mas para expressar, de fato, o quanto são belas. Basta olhá-las e senti-las amáveis em seus adornos. Alguns são mutáveis, com o passar dos anos, de acordo com a época; outros são permanentes, iguais aos batons, suaves ou extravagantes; os brincos, as meias de seda. É notório que não posso me esquecer dos perfumes.
Quando menino, e ainda morava no campo, lembro-me do inesquecível pó compacto que minhas queridas tias aplicavam nas suas faces em dias de visitas, ou passeios.
Mas, a bela e jovem italiana, num dos dias que usava suas elegantes meias, ao atravessar a sala da casa onde eu também estava e muitas outras pessoas, triscou num móvel e um fio se partiu, mudando a estética da meia.
De imediato sentiu-se nela uma sensação de desconforto. Que logo foi compensado pelo seu sorriso, transferindo a estética da meia para a bela estética do sorriso em seu rosto, com apenas um suave lamento: Ah, que pena!



Juiz de Fora, 06 de março de 2011.
Evaldo de Paula Moreira
Lembranças – Dia Internacional da Mulher

quinta-feira, 3 de março de 2011

Quebra cabeça


- (pergunta feita por um de meus professores de ginásio, em aula)





-Um passarinho estava cantando num galho de uma árvore. Um gato que estava à espreita tentou sorrateiramente subir na árvore para pegá-lo. Nesse instante, um cão, que estava do outro lado da rua, partiu depressa em direção ao gato. Um motorista, ao desviar seu carro do cão para não atropelá-lo, bate em outro carro, gerando confusão no trânsito.

A pergunta é: de quem é a culpa do acidente?

(obs.: a questão era apenas uma brincadeira filosófica, no sentido de nos fazer raciocinar sobre outras coisas. Não houve resposta para a mesma).


Juiz de Fora, 01 de março de 2011.
Evaldo de Paula Moreira
Reflexões

Desenho livre - Expressões


Humor antigo - (ouvi no rádio)