SEGUIDORES DE CAMINHADA

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Olhar e ver - (reflexões)


Olhar e ver 

Saber ver é difícil.
Compreender o que os olhos olham é mais difícil ainda.
Transformar-se, após compreender, está mais além.
Entender as palavras ditas, e as lidas, está no foco do que os olhos podem ver ou do que a imaginação pode tecer.
Assim sendo, a vida é um processo de descobertas das coisas que muitos já descobriram e estão por descobrir. O véu se abre a cada olhar que a vê e se mantém fechado para quem passa e não a vê.
Viver é ter paciência com o olhar que nem tudo sabe ver. É descobrir que há diferença em ver. Que se pode aprender a ver. Que é possível transformar-se após olhar e ver.
É página que passa e que pode ser repassada.
É encanto e também desencanto.
Depende da página que for olhada... E vista... Compreendida... E vivida.
Podemos olhar e nos ver como figurantes atuantes nas páginas desse livro chamado vida. Dela, somos atores, agentes transformadores, cujo olhar nem sempre vê.


Juiz de Fora, 16 de fevereiro de 2011.
Evaldo de Paula Moreira
Reflexões

Um comentário:

Tais Luso disse...

Oi, Evaldo: como é difícil nos posicionarmos diante de todas estas alternativas... Olhamos com um olhar nosso quando alguém espera enxergarmos alguma coisa com seu olhar; entendemos uma coisa quando a pessoa quis dizer outra, e aí já é um rolo! Imaginamos algo, sonhamos com tal, quando vamos ver já não é bem assim. Penso que temos de respeitar a todos os olhares, aos múltiplos olhares e suas constatações. Enfim, Evaldo, o que importa mesmo é viver; acreditar no que nossos sentidos dizem e o que nosso coração sente. Não digo que consigamos tudo, mas chegamos um pouco mais perto da paz de espírito.

Beijos
Tais Luso