SEGUIDORES DE CAMINHADA

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

POEMA - GUERRA DE CHOCOLATES



Queria que as bombas fossem de chocolate.

E que os mosquetes mirassem os peitos, mas não de inimigos.

Quando explodissem os projéteis, não espalhassem estilhaços, mas bombons recheados de melaço.

E a fumaça fosse apenas festa de fogos de artifício.


Evaldo de Paula Moreira             
Juiz de Fira, 01 de dezembro de 2010.
Poema de Amor